22/02/2010

No mundo das mamães

Há quase um mês troquei de estágio. Sai da assessoria de imprensa e vim para uma revista – enfim o início de um sonho se concretizando. A revista é destinada para gestantes e mamães, aí a gente dá um monte de informação sobre coisas que eu nem imaginava existirem – como um protetor de colchão antialérgico. Desde então venho notado como é diferente e único o mundo desses seres divinos que são as mães.

Disse único no sentido de que cada mãe tem o seu mundo, e não de que é um mundo para todas as mães. Todas as mães acham que o seu filho é o mais lindo, o mais esperto, o mais sorridente, o mais bagunceiro e até o mais dorminhoco do mundo. Mas o que importa mesmo é que os filhos delas serão sempre os melhores do mundo.

E com isso eu fico imaginando que quando a gente cresce e faz um monte de coisa que chateia as nossas mães elas devem ficar tristes demais. Imaginem uma mãe que lutou a infância inteira do filho para ele ser capa da revista? Ou mesmo aquela que queria mandar a história de como o parto foi difícil ou simplesmente ver o filhotinho na seção reservada para as fotos dos nenês das leitoras... E ai a gente cresce e nem imaginava que a nossa mãe passava O perrengue pra todo mundo ver a gente e achar bonitinho.

Mas voltando para o foco inicial: mãe é uma coisa engraçada. E é como dizem: só muda de endereço. É, assim como os filhos. Todas amam seus filhos e por mais que umas e outras neguem que vão fazer tudo pelos filhos a vida toda, eternamente, nós os filhos, seremos os queridinhos da mamãe. Se a gente pedir pra ela fazer uma massagem naquele pé fedido e suado que acabou de andar o centro de SP inteiro, ela vai fazer, porque ela é mãe.

...ou não. Acho que a minha mãe não faria. Ela me mandaria ir pro banho e depois berraria pra eu levar o copo d’água pra ela no quarto enquanto ela assiste a novela das seis.

É, mãe faz tudo para o filho. (o ruim é só quando elas começam a perceber que os filhos também fazem tudo por elas. Shiiiiiiiiiiiu.... é segredo!)