20/11/2011

Me formei para participar de promoção

Farei um breve desabafo. Para a minha família eu me formei para participar de concursos culturais, vulgo promoções. A vida da minha irmã (aquela linda) é dizer: “Ô Lê, eu vi uma promoção de tal marca, que precisa escrever um texto sobre tal coisa, você pode fazer o texto?”. Hoje o meu pai me chama com uma revista de moto na mão e diz: “Ô Lê, essa revista aqui tá com uma promoção pra ganhar essa super moto. Precisa fazer uma frase... Você lê direitinho e manda, porque não custa tentar, né?”. Eu não sei se é porque eles dizem que eu escrevo bem (opinião de família não vale) ou porque no primeiro ano da faculdade ganhei três promoções. Mas a verdade, nua e crua, é que me formei para participar de promoções. (Pode rir, gente!)

Ah, nessa verdade aí também cabe: revisar trabalhos acadêmicos, escrever textos comerciais, e textos jornalísticos as vezes.

P.S.: Família linda da minha vida, pode continuar pedindo pra eu fazer textinho de promoção. Como disse o pai, não custa tentar. Mas é que eu tinha que desabafar essa coisinha!

06/11/2011

Eu olho primeiro o tênis

Vai ser ridículo assumir isso. Mas um dia me vi fazendo isso no elevador do prédio em que trabalho, logo às oito da manhã, e segurando a gargalhada por notar o quão ridículo é esse meu hábito. Hábito que, diga-se de passagem, foi ensinado por uma amiga aí, que olha... Não sei de onde a bichinha tirou essa ideia. Bom, vamos a grande pergunta:

Meninas, quando vocês olham um homem que julga, de longe, ser interessante, qual é a primeira coisa que você observa para ter certeza de que ele vale a pena?

Eu olho o tênis! (pausa para rir: HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA)

É ou não é ridículo? ÉÉÉÉ! Mas, o tênis diz muita coisa sobre um homem. E não estou falando do tamanho do órgão sexual do “minino”. Afinal, tamanho não é documento. Tanto não estou falando que, confesso, que não tenho ideia se o tamanho do pé é o tamanho do dito cujo. Enfim, voltando ao tênis...

Um homem que usa um sapatênis perde todas as chances, assim como os que usam sapato social. Sapato social é coisa de pai, ou de festa de casamento. Okaay, a Dal’Jovem até entende que existem advogados, administradores e outros profissionais sem sorte que não podem trabalhar de tênis. Mas, se o elevador do prédio comercial é lugar pra paquerar, definitivamente, não dá pra se interessar por um homem desses. Porém, nesses casos a gente até cogita observar o estilo do rapaz – ainda que seja o social preto no branco – pra ver se ele vale a pena. E aí, se ele for interessante mesmo, a gente marca um encontro num sábado e espera que ele vá de tênis. Porque se ele for de sapatênis, melhor desistir.

Um homem que usa tênis de academia não merece atenção. Esse com certeza vive malhando, puxando quilos e quilos de ferro, enquanto observa o inchaço dos músculos no espelho e tá lá, todo egocêntrico. Esse, sem dúvidas, gosta de sertanejo universitário, pagode e conhece as letras dos funks mais atuais. Um homem com tênis de academia, com certeza, entra no elevador do prédio do trabalho de óculos de sol às oito da manhã, enquanto o dia está nublado, ouvindo música no iPod em um volume que parece que está sem fone, e com o iPod na mão, para mostrar que tem um produto da Apple. Bom, e se ele faz tudo isso aí... Melhor continuar solteira.

Homem que usa tênis da Timberland é semi-interessante. O problema desse é que ele vai querer que eu volte a praticar todas as aventuras do tempo do escotismo, e ó... Vou te contar que não ando muito a fim de acampar no meio de pernilongos, tomar banho na água gelada, comer macarrão metade cru, metade cozido, e ainda voltar para casa cheia de picadas, roxos, e sem força para o dia seguinte. Esse dá pra conversar, rir, programar um sábado de aventuras e só. Homem de Timberland é pra ser amigo.

O rapaz que usa all star exige muita cautela na análise. Ou ele é nerd, ou ele é do mal e nerd, ou ele é só estiloso. Aí, minha filha, você olha para a cara dele e analisa isso tudo. Se ele tiver os olhos arregalados demais, desiste! Desiste porque se não você corre o risco de morrer e não tá nem sabendo. Agora se ele tiver uma barbinha, uma camisa xadrez, e uma cara de limpinho, sorri de volta pra ele e vai ser feliz!

Agora, o homem perfeito. Quando você entra no elevador, no trem, está na Paulista, na Vila Madalena, no Rio de Janeiro (não, no Rio não, porque só se usa Havaianas naquela cidade), ou onde for, você olha pro pé do rapaz e pensa “PUTA QUEO PARIU! EU QUERIA UM TÊNIS DESSE PARA MIM”, ÓÓÓÓÓÓÓÓÓÓÓÓÓÓÓÓÓÓÓÓ, muito bem minha filha, você acaba de achar o homem perfeito. Esse tênis provavelmente vai ser algo como isso aqui:



(Claro que não precisa ser nessa cor toda, mas é que esses modelos são demaaaais. Ressalto que não procuro um Restart!)

Adidas, Nike ou Vans. E se for Vans, abraça a causa, que é sucesso pelo resto da vida, gente.

Um homem que tem o bom senso de usar um tênis maravilhoso assim conversa sobre tudo, te faz rir loucamente, beija bem, te faz a mulher mais feliz do mundo, ou te faz sofrer horrores – afinal ele é o homem perfeito, e esses perfeitinhos sempre causam essas coisas.

É por isso minha gente, que eu digo, que se um dia eu casar (o que eu espero, sinceramente, que não aconteça) eu casarei de tênis.