17/08/2015

a vida e o celular

A vida segue com pressa antes das nove horas da manhã na transferência da linha amarela pra linha verde do metrô. E no ritmo da procissão, metade dos passageiros estão com celular na mão. Que lerdeza que é! 

Eu tenho pressa. Sempre. Ando mais rápido do que corro. E o povo todo com celular na mão. Jogando Candy Crush, respondendo o amigo, avisando o chefe que vai atrasar - mas tá na maior lerdeza com o celular na mão. Será que só eu tenho pressa nessa cidade? Anda, cacete! 

Puta vida! Bom humor logo cedo já não é tarefa fácil, ainda me vem essa gente de passo lento e celular na mão. Aaaaaaannndaaaaaaaa! Puta merda, que lerdeza, gente! Sai! Sai! Sai! Eu vou berrar... Ufa! Escapei da lerda, outro lerdo a esquerda, viro a direita, e como entre obstáculos chego na escada. Alguém para do lado esquerdo, que era pra estar livre. Tô atrasada, e o cidadão parado do lado errado também tá com o celular na mão. Não percebeu o apressado logo atrás. 

Que desrespeito que é! 

Logo depois tem reunião. Nada muito relevante. Mas tem que estar lá, de corpo e alma presente. Celular toca, reunião interrompida. Todos reunidos aproveitam pra responder WhatsApp. Piada, cliente, mãe, piada, piada, piada, grupo da pós, piada... Depois tem aquela perguntinha: onde estávamos mesmo? E o celular toca de novo! 

Mais tarde tem encontro com amigos que não se vê há tempos. Conta uma coisa aqui, outra ali, que saudade que eu tava de você! E pega o celular na mão, põe a senha e responde outro WhatsApp, "to aqui com as meninas. Chego mais tarde". O papo em dia segue: 

- você viu aquele vídeo? Vou te mandar no WhatsApp...
- Nossa... Você não sabe o que o que ele falou pra Lu, olha o print...

Se faz check-in, tira foto pra postar no Instagram e beijo, tchau, te mando whats. 

Não se liga mais! 

Próximos aplicativos a serem lançados: happy hour online, mesa de bar virtual, almoço de domingo exclusivo para iPhone. 

E eu, que trabalho a favor do universo digital, me pergunto: até onde tá valendo a pena essa tecnologia toda? É filosofia de Facebook, ou "vida é o que acontece enquanto você olha o celular" ou exige uma adaptação para "vida é o que acontece dentro do celular"? 

No fim do dia, de volta pro trenzão, sentido Grajaú. Escuto um barulhinho irritante:

Moço... Ô moço... Da pra tirar o barulhinho do jogo do celular? É só por no mute! Todo celular tem essa opção, é igual televisão. 



quem não passou por qualquer dessas situações até aqui,  que atire a primeira pedra.